SEJA HYPE VOCÊ TAMBÉM

Fuja da obesidade! Ficar sentado é o novo ‘fumar’

A conclusão é da médica norte-americana Rita Raman, da Universidade de Oklahoma, que trata de obesidade e distúrbios ligados à alimentação

0 139

 “Ficar sentado é o novo ‘fumar’. Não se movimente e ande à margem de um estilo de vida saudável, e verá as consequência em seu próprio corpo. “Atualmente, já é possível fazer uma conexão de que, quanto mais tempo a pessoa passa sentada, maior é o risco de mortalidade por doenças ligadas à obesidade e à falta de exercícios”, afirmou a professora Rita Raman, médica pediatra pela Universidade de Oklahoma, em palestra no Congresso Brasileiro de Nutrologia, realizado, recentemente, em São Paulo.

Sedentarismo aumenta os riscos de mortalidade por  doenças ligadas à obesidade

Você não acredita?

Então saiba que a obesidade está associada a diversas doenças, como diabetes, problemas cardiovasculares, colesterol, artrite e doenças nas articulações, autoimunes, além de problemas psicossociais. E mais: o sedentarismo é um dos piores fatores.Continua achando que ficar sentado a maior parte do tempo é legal?Então, entre na fila daqueles que recorrem a  medicamentos.

A obesidade está associada a muitas doenças,entre elas o diabetes

 

Atenção ao que vem a seguir 

Durante o congresso, os problemas psicossociais e as dificuldades na farmacoterapia antiobesidade também foram abordados pelo médico nutrólogo e presidente da Associação Brasileira de Nutrologia, Durval Ribas Filho.

“Alguns governos ainda não compreendem a importância do tratamento de uma doença crônica, como a obesidade, através de agentes farmacológicos. Uma pessoa hipertensa, sem o devido remédio, terá crise de pressão alta. O obeso, sem o remédio, engorda e sofre discriminações”, pontua ele. Para o médico, a comparação é inevitável. “Quantas vezes você já ouviu: ´Você engordou, mas nossa… você não estava tomando aquele remédio´? Nem sempre a farmacoterapia é indicada. Por isso, existe a necessidade de um acompanhamento médico especializado”, adverte o nutrólogo.

Socorro! Chame uma equipe

Para a presidente da Sociedad Paraguaya de Nutrición, Maria Cristina Jimenez, é imprescindível compor uma equipe multidisciplinar para o combate da obesidade. “Médicos nutrólogos, endocrinologistas, cardiologistas, psicólogos e nutricionistas devem compor uma equipe para combater a doença. Uma pessoa que reduz de 5% a 10% de seu peso, promove uma melhora corporal em curto prazo, mas nunca a homeostase energética – o gasto energético que é a interação metabólica que mantém a energia do corpo para sobrevivência em curto e longo prazo – será a mesma entre ex-obesos e magros”, diz a presidente da SPN.

Sobre a ABRAN

Fundada em 1973, a ABRAN – Associação Brasileira de Nutrologia – é uma entidade médica científica que dedica-se ao estudo de nutrientes dos alimentos, que são decisivos na prevenção, no diagnóstico e no tratamento da maior parte das doenças que afetam o ser humano. Reúne mais de 1.700 médicos nutrólogos titulados especialistas em nutrologia pelo Brasil e mais de quatro mil médicos associados, que atuam no desenvolvimento e na atualização científica em prol do bem-estar nutricional, físico, social e mental da população. Visite www.abran.org.br, curta a ABRAN no Facebook facebook.com/nutrologos e no Instagram @nutrologia.

Leave A Reply

Your email address will not be published.