SEJA HYPE VOCÊ TAMBÉM

A transição entre o suave e o fino

Não restam dúvidas de que o brasileiro anda consumindo cada vez mais vinho. Tem sempre uma confraria nova surgindo, grupos de discussão na Internet e perfis de amantes da bebida crescem no Instagram.  Mas a verdade é que a gente ainda consome pouco vinho, quando comparado aos outros países.

0 88
Na França, para se ter ideia, o consumo já chega a quase 60 litros per capta; na Argentina, que é um “ovo” de país, já são 26 litros por cabeça, enquanto, aqui no Brasil… sabem quanto? Míseros quatro litros! E desses quatro, gente, três são de vinho de mesa. Somos o maior consumidor de vinho de mesa do mundo, porque somos os únicos que fazer e comercializar vinhos de mesa.

Vinhos de mesa são aqueles elaborados com uvas para consumo in natura, não muito adequadas para vinificação, normalmente mais ácidas e que precisam de alguma correção para se tornar bebíveis, assim como os vinhos de mesa suave, que levam uma “pancada” de açúcar para se tornar suave. Pois bem, gosto cada um tem o seu, e quem nunca teve o seu momento “Sangue de Boi” ou “Dom Bosco” da vida?  Vocês hão de convir comigo que ter simpatia pela bebida, já é meio caminho andado. De resto, só adquirindo quilômetros de litragem mesmo, para saber o que é bom, e o que lhe apetece mais.

Em grupos de vinho na Internet, vejo muitos apreciadores relatando total amor pelos rótulos suaves, o que acho válido. Tudo começa por aí, mas é bacana estar atento a novos sabores, aromas e experiências que o vinho pode proporcionar. Uma delas é não ter dor de cabeça, nem ressaquinha com o vinho fino, que tal?

O artigo de hoje é para falar de alguns vinhos bacanas a quem está nesse processo de transição, saindo do vinho de mesa e caminhando para o vinho fino. São rótulos leves, agradáveis, e com sensações doces. A ideia é fazer as pessoas que são fãs dos suaves perceberem que existe um mundo melhor e, com isso, instigá-las a provar novos rótulos. Mas para começar a gostar mais do rótulo fino, você não precisa sair por aí atrás do vinho mais caro, não!

É bacana ter o vinho de uma uva “pra chamar de sua”, a preferida, aquela que você gosta. Para isso o ideal é você escolher sempre os rótulos chamados de varietais, aqueles que na vinificação levam apenas uma uva. Prove e tome nota. Em algum momento, seu coração irá bater mais forte por alguma delas.

 Abaixo, selecionei alguns rótulos bons, baratos, gostosos de beber e fáceis de encontrar nas lojas de vinho.

“Benjamin Nieto Senetiner”: (Malbec) rótulo argentino, com aroma jovem que lembra frutas vermelhas, com destaque para o morango. Um vinho de médio corpo, taninos equilibrados, sabor delicado, porém de prolongada permanência. Ideal para acompanhar carnes vermelhas, frango e queijos de sabor leve.

Onde encontrar: Adega Ok Hipermercado

Preço: R$52

Leia Mais...
1 of 5

“AS3”: (Cabernet Sauvignon), rótulo chileno com aromas elegantes de frutas vermelhas maduras, como cerejas. Toques de ameixa e amoras. Pequenas notas de gengibre, canela e chocolate. Na boca tem taninos macios e suaves, ótima acidez com final longo e persistente. Fácil de beber.

Onde encontrar: Supermercados Carone, Perim e Adega OK Hipermercado

Preço: R$29,90

 

“Bodega Vieja”: (Cab. Sauvignon/ Merlot ) rótulo chileno,  fresco e frutado, apresenta sabores que remetem a mirtilo, ameixa e cerejas negras. Possui final agradável, com taninos suaves, redondos, e textura sedosa.

Onde encontrar: Supermercados Perim

Preço: R$43

“Cefiro Reserva”: (Merlot) rótulo chileno que passa oito meses por barrica de carvalho, tem uma cor vermelha profunda, no paladar é frutado, com taninos maduros e muito bem equilibrados. Sente-se ainda uma leve doçura, com final persistente e agradável.

Onde encontrar: Supermercados Carone, Perim e Adega OK Hipermercado

Preço: R$65

 

Leave A Reply

Your email address will not be published.